01/10/2016

Os fantasmas do Modernismo ou a viagem interior de Cabral Martins

Cabral Martins como Fernando Pessoa
Um dos protagonistas de Conversa acabada (1981) de João Botelho

A vida

Fernando [Manuel] Cabral Martins, nasceu em Mangualde, em 1950.
É um professor universitário, ensaísta, crítico, editor literário, tradutor, ficcionista (romance e conto) e ator.
apresentada no colóquio 100 anos de ORPHEU, Lisboa, FCG.
[Clique na legenda para aceder ao vídeo, no Youtube]

Fernando Cabral Martins licenciou-se em Literaturas Românicas pela Faculdade de Letras da Univ. de Lisboa, em 1977 e obteve o grau mestre em Literatura Francesa pela mesma faculdade com a tese Une poétique du symbolisme: les minutes de sable mémorial d'Alfred Jarry  (Lisboa, 1985). Doutorou-se em Literatura Portuguesa pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) da Universidade Nova de Lisboa (UNL), onde é docente do Departamento de Estudos Portugueses, com a tese Mário de Sá-Carneiro e o modernismo (Lisboa, 1992). As suas principais áreas de interesse são a literatura e cultura portuguesas dos séculos XIX e XX, crítica textual e teoria da edição.
Dirigiu as revistas Correspondências 1 (Lisboa 2000) e Cadernos do Centro de Estudos do Surrealismo 2 (Vila Nova de Famalicão, 2002), tendo colaboração literária dispersa por várias publicações periódicas como a Colóquio/Letras. Fez crítica de cinema no semanário Expresso.
Coorganizou encontros científicos na FCSH da UNL: o III Congresso da Associação de Literatura Comparada (1998) e o I Encontro sobre Edição de Textos Modernos (2005). Coordena ainda o projeto de investigação FCT “Modernismo Online”: um arquivo virtual que tem por objetivo a organização dos textos literários, peças de arte e documentos que constituem o Modernismo português.

É considerado um dos mais reputados especialistas portugueses do Modernismo, tendo dedicado vasta obra, de estudo e de edição, às três maiores figuras do grupo da revista Orpheu.
Tendo consagrado a sua investigação doutoral a Mário de Sá-Carneiro e o modernismo (Lisboa: UNL, 1992), tese editada em 1994, organizou de seguida uma antologia da Poesia de Mário de Sá-Carneiro (1996), seguindo-se-lhe Poemas completos (1996), Primeiros contos (1998), a narrativa A confissão de Lúcio (1998), Céu em fogo: oito novelas (1999), culminando no volume completo de Verso e prosa (2010). Recentemente, organizou em colaboraçãoo com a BNP o recurso eletrónico Mário de Sá-Carneiro, 1890-1916 (Lisboa, 2016), disponível no endereço http://mariosacarneiro.bn.pt/.





Autor do premiado volume Introdução ao estudos de Fernando Pessoa (2014), coordenou o monumental Dicionário de Fernando Pessoa e do Modernismo Português (2008), que teve uma segunda edição no Brasil (2010).
É também o responsável direto por vários volumes da edição da obra de Fernando Pessoa em curso na Assírio & Alvim: Mensagem (1997; 9.ª ed., 2012); Ficções do Interlúdio: 1914-1935 (1998; 2.ª ed., rev. por António Lampreia, 2012); Poesia. Alberto Caeiro (2001; 3.ª ed. corrigida, 2009); Crítica: ensaios, artigos e entrevistas (2000; 3.ª ed., 2014). Mais recentemente, sempre em parceria com Richard Zenith, editou os seguintes volumes pessoanos: Teoria da heteronímia (2012); Poemas escolhidos de Alberto Caeiro (2013); Odes escolhidas de Ricardo Reis (2013); Cancioneiro: uma antologia (2013); Poemas escolhidos de Álvaro de Campos (2013); Poemas esotéricos (2014); Mensagem e outros poemas sobre Portugal (2014); Prosa escolhida de Álvaro de Campos (2015); Sobre Orpheu e o sensacionismo (2015).

Fernando Cabral Martins também é o coordenador da edição da obra de José de Almada Negreiros, na mesma casa editorial. Com Luís Manuel Gaspar, Mariana Pinto dos Santos, editou Nome de guerra (2001; 3.ª ed., 2013); Poemas (2001; 2.ª ed. corrigida, 2005); Ficções (2002); Manifestos e conferências (2006). Recentemente, em 2015, escreveu a introdução para o volume de Almada Negreiros – Orpheu 1915-1965.
Organizou ainda antologias críticas da Poesia simbolista portuguesa (1990), período literário objeto de estudo da sua investigação de mestrado, acerca da obra de Alfred Jarry (1985); e, em coautoria com Irene Freire Nunes, da poesia de Os trovadores provençais (2014).
Organizou, apresentou e anotou edições da obra de Luiza Neto Jorge: Poesia: 1960-1989 (1993) e Poemas de Luiza Neto Jorge: antologia (1997); em coautoria com Maria Antónia Oliveira, de Alexandre O'Neill: Anos 70: poemas dispersos (2005) e Já cá não está quem falou (2008).
Contam-se, entre as suas publicações em livro, vários ensaios, para além dos já
referidos: Cesário Verde ou a transformação do mundo (1988), leitura crítica “considerada reformuladora de lugares-comuns que o tempo ajudou a cristalizar”; O trabalho das imagens (2000);  Julio: o realismo mágico (2005). 
Desde 1974. Cabral Martins dedicou-se à tradução, sobretudo na área dos estudos literários e para a Arcádia editores: O sujeito, o corpo e a letra: ensaios de escrita psicanalítica, de Jacques Lacan e outros (1977); Semiótica do romance, de Julia Kristeva (1977) e Discurso da narrativa, de Gérard Genette (1979). Em colaboração com Irene Freire Nunes, traduziu Canções e poemas, de Boris Vian (1997).



Cabral Martins é  também autor de uma singular obra ficcional, sobretudo no domínio da escrita breve. À estreia em 1986, com Sub estâncias, segue-se a coletânea de contos  Ao cair da noite (1989), reconhecida pelo Prémio Municipal Eça de Queiroz; o romance A cidade vermelha (1991); publicando sucessivamente volumes de contos: Western (1995); O deceptista (2003); Viagem ao interior (2005), com ilustrações de Carlos Ferreiro; A flor fatal (2009) e Os fantasmas de Lisboa (2012). Como já foi observado, “enquanto ficcionista, pode-se dizer que dá voz a uma narrativa da vida urbana, próxima da tradição dos guionistas anglo-americanos. Alguns tiques formais não beliscam o retrato desse particular universo geracional (os sixties), contido numa escrita seca avessa a qualquer derrame.” (verbete, in site da DGLB).






Com a obra Ao cair da noite (Lisboa: Contexto, 1989), recebeu o Prémio Municipal Eça de Queiroz, em 1989.

O seu recente ensaio, global e sintético, Introdução ao estudo de Fernando Pessoa (Lisboa: Assírio & Alvim, 2014), foi distinguido com  Prémio Jacinto do Prado Coelho da Associação Portuguesa dos Críticos Literários, em 2015.





Foi ator em três filmes de João Botelho: Conversa Acabada (1981), 
Tráfico (1998), e 
Tempos Difíceis (1988). 

No primeiro dos filmes, Conversa Acabada, realizado nos 120 anos do nascimento de Fernando Pessoa, Cabral Martins deu rosto e voz ao autor dos heterónimos, amigo de Mário de Sá-Carneiro, o interlocutor da conversa visada.




A obra


1 – Ficção

  • Sub estâncias [ficção]. Lisboa: Black Sun, 1986. – 45 p.
  • Ao cair da noite [contos].  Lisboa: Contexto, 1989. – 130 p.
  • A cidade vermelha: romance.  Lisboa: Contexto, 1991. – 125 p.
  • Western [contos]. S.l.: Black Sun, 1995. / Lisboa: Colibri-Artes Gráf. – 50 p.
  • O deceptista [contos].  Hors-texte Carlos Ferreiro. Lisboa: & etc, 2003.
  • Viagem ao interior [contos].  Il. Carlos Ferreiro. Lisboa: & Etc, 2005.
  • A flor fatal: conto. Rev. António Lampreia. Lisboa: Assírio & Alvim, 2009.
  • Os fantasmas de Lisboa. Lisboa: & Etc, 2012.




2 – Crítica, ensaio, editorial

Poesia simbolista







Une poétique du symbolisme: les minutes de sable mémorial d'Alfred Jarry Tese de mestrado em Literatura Francesa
Lisboa: FLUL, 1985. – 182 p. (30cm).
Poesia simbolista portuguesa. 
Apresent. crítica, seleç., notas e linhas de leitura de FCM.
Lisboa: Comunicação, 1990.


Obra de Mário de Sá-Carneiro

  • Mário de Sá-Carneiro e o modernismo Tese dout. Literatura Portuguesa. Lisboa: FCSH-UNL, 1992. – 609 p. (30cm); bibl., p. 583-605.
  • O modernismo em Mário de Sá-Carneiro. Lisboa: Estampa, 1994. / 1997. – Col. Leituras, 7; 353 p. (21cm).
  • Poesia de Mário de Sá-Carneiro: antologia. Org. FCM. Lisboa: Presença, 1996.
  • Poemas completos, Mário de Sá-Carneiro. Ed. FCM. Lisboa: Assírio & Alvim, 1996. / 2.ª ed. corrigida, 2001. / 3.ª ed., 2005.
  • Primeiros contos, Mário de Sá-Carneiro. Ed. FCM. Lisboa: Assírio & Alvim, 1998. 
  • A confissão de Lúcio: narrativa, Mário de Sá-Carneiro. Ed. FCM. Lisboa: Assírio & Alvim, 1998. / 2.ª ed., 2004. / Lisboa: Planeta DeAgostini, 2006.
  • Céu em fogo: oito novelas, Mário de Sá-Carneiro. Ed. FCM. Lisboa: Assírio & Alvim, 1999.
  • Verso e prosa, Mário de Sá-Carneiro. Ed. FCM; rev. António Lampreia. Lisboa : Assírio & Alvim, 2010.
  • Mário de Sá-Carneiro, 1890-1916 [Recurso eletrónico] / Fernando Cabral Martins, Fátima Lopes; coord. ed. Fátima Lopes, Ana Carolina Correia; coord. técnica e design Miguel Mimoso Correia, Dulce Fontes. Lisboa: BNP, 2016. – URL: http://mariosacarneiro.bn.pt/.

Obra de Fernando Pessoa


  • Mensagem, Fernando Pessoa. Ed. de FCM. Lisboa: Assírio & Alvim, 1997. / 2.ª ed., 2000. / 3.ª ed. corrigida, 2002. / 4.ª ed., 2004. / Lisboa: Planeta DeAgostini, 2006. /  [2 ed.] Lisboa: Soc. Edit. de Livros de Bolso, 2009. / 8.ª ed., Lisboa: Assírio & Alvim, 2010. / 9.ª ed., Porto: Assírio & Alvim, 2012. / 2014.
  • Ficções do Interlúdio: 1914-1935, Fernando Pessoa. Ed. FCM. Lisboa: Assírio & Alvim, 1998. / Lisboa: Planeta DeAgostini, 2006. / 2.ª ed., rev. António Lampreia. Lisboa: Assírio & Alvim, 2012. / Lisboa, 2007. – Ed. com o título Ficções do Interlúdio: poemas publicados em vida.
  • Poesia. Alberto Caeiro, Fernando Pessoa. Ed. FCM e Richard Zenith. Lisboa: Assírio & Alvim, 2001. / 2.ª ed., 2004. / Lisboa: Planeta DeAgostini, 2006. / / 3.ª ed. corrigida, Lisboa: Assírio & Alvim, 2009.
  • Crítica: ensaios, artigos e entrevistas. Fernando Pessoa. Ed. FCM. Lisboa: Assírio & Alvim, 2000. / 3.ª ed., reimp., Lisboa: Assírio & Alvim, 2014.
  • Dicionário de Fernando Pessoa e do Modernismo português. Coord. FCM. Lisboa: Caminho, 2008. – 959 p. a 2 colns; il. (25cm); bibl., 925-959.
  • Teoria da heteronímia, Fernando Pessoa. Ed. FCM, Richard Zenith. Lisboa: Assírio & Alvim, 2012.
  • Os poemas sobre Pessoa: antologia, Sophia de Mello Breyner Andresen. Pref. FCM; sel. e org. Maria Andresen de Sousa Tavares. Alfragide: Caminho, 2012.
  • Poemas escolhidos de Alberto Caeiro, Fernando Pessoa. Ed. FCM, Richard Zenith. Porto: Assírio & Alvim, 2013. / reimp. 2014.
  • Odes escolhidas de Ricardo Reis, Fernando Pessoa. Ed. FCM, Richard Zenith. Porto: Assírio & Alvim, 2013.
  • Cancioneiro: uma antologia, Fernando Pessoa. Ed. FCM, Richard Zenith. Lisboa: Assírio & Alvim, 2013.
  • Poemas escolhidos de Álvaro de Campos, Fernando Pessoa. Ed. FCM, Richard Zenith. Porto: Assírio & Alvim, 2013. / reimp. 2014.
  • Poemas esotéricos, Fernando Pessoa. Ed. FCM, Richard Zenith. Lisboa: Assírio & Alvim, 2014. 
  • Mensagem e outros poemas sobre Portugal, Fernando Pessoa. Ed. FCM, Richard Zenith. Lisboa: Assírio & Alvim, 2014.
  • Introdução ao estudos de Fernando Pessoa. Lisboa: Assírio & Alvim, 2014.
  • Prosa escolhida de Álvaro de Campos, Fernando Pessoa. Ed. FCM, Richard Zenith. Porto: Assírio & Alvim, 2015.
  • Sobre Orpheu e o sensacionismo, Fernando Pessoa. Ed. FCM, Richard Zenith. Porto: Assírio & Alvim, 2015.


Obra de José de Almada Negreiros

  • Nome de guerra, José de Almada Negreiros. Ed. FCM, Luís Manuel Gaspar, Mariana Pinto dos Santos. Lisboa: Assírio & Alvim, 2001. / 2.ª ed., 2004. / 3.ª ed., 2013.
  • Poemas, José de Almada Negreiros. Ed. FCM, Luis Manuel Gaspar, Mariana Pinto dos Santos. Lisboa: Assírio & Alvim, 2001. / 2.ª ed. corrigida, 2005.
  • Ficções, José de Almada Negreiros. Ed. FCM, Luis Manuel Gaspar, Mariana Pinto dos Santos. Lisboa: Assírio & Alvim, 2002.
  • Manifestos e conferências, José de Almada Negreiros. Ed. FCM et al.. Lisboa: Assírio & Alvim, 2006.
  • Orpheu 1915-1965, José Sobral de Almada Negreiros. Introd. FCM. Lisboa: Babel, 2015.

Diversa

  • Versos, Augusto Gil. Pref. FCM. Lisboa: Ulmeiro, 1981.
  • Cesário Verde ou a transformação do mundo. Lisboa: Comunicação, 1988.
  • Poesia: 1960-1989: os sítios sitiados: a lume: dispersos, Luiza Neto Jorge. Org. e pref. FCM. Lisboa: Assírio & Alvim, 1993. / Noutra editora, posteriormente: Poemas de Luiza Neto Jorge : antologia. Org. FCM. Lisboa: Presença, 1997.
  • Correspondências, Departamento de Línguas e Literaturas Românicas da FCSH da UNL; dir. Fernando Cabral Martins. Lisboa: Colibri. 1998.
  • O trabalho das imagens. Lisboa: Aríon, 2000. – Col. Parque dos poetas, 2; 265 [6] p. (24cm).
  • Marginálias, Ramón Gómez de La Serna. Des. José de Almada Negreiros; pref. Juan Manuel Bonet, Fernando Cabral Martins. Lisboa: Bedeteca de Lisboa: Assírio & Alvim, 2004.
  • Anos 70: poemas dispersos, Alexandre O'Neill. Ed. Maria Antónia Oliveira, Fernando Cabral Martins; pref. Vítor Sousa Tavares; il. Luís Manuel Gaspar. Lisboa: Assírio & Alvim, 2005. / 2009.
  • Julio: o realismo mágico. Lisboa: Caminho : Edimpresa, 2005.
  • Já cá não está quem falou, Alexandre O'Neill. Ed. Maria Antónia Oliveira, FCM. Lisboa: Assírio & Alvim, 2008.
  • Manifesto da mulher futurista: manifesto futurista da luxúria, Valentine de Saint-Point. Introd. FCM; trad. Célia Henriques. Lisboa: Edições Culturais do Subterrâneo, Lda., 2009.
  • Os trovadores provençais. Sel., org. e trad. Irene Freire Nunes, FCM. Lisboa: Sistema Solar, 2014.
  • O nome das coisas, Sophia de Mello Breyner Andresen; pref. Fernando Cabral Martins. Porto: Assírio & Alvim, 2015. 


Tradução

  • Sobre a China, Karl Marx, Friedrich Engels. Porto: Escorpião, 1974.
  • A criança, essa desconhecida, Françoise Lazard-Levaillant. Lisboa: Moraes, 1977.
  • O sujeito, o corpo e a letra: ensaios de escrita psicanalítica, Jacques Lacan et al. Trad. Fernando Cabral Martins, Maria Margarida Calvet Barahona. Lisboa: Arcádia, 1977.
  • Semiótica do romance, Julia Kristeva. Lisboa: Arcádia, 1977. / 2.ª ed., 1978.
  • Discurso da narrativa: ensaio de método, Gérard Genette. Lisboa: Arcádia, 1979.
  • Canções e poemas, Boris Vian. Trad. Irene Freire Nunes, Fernando Cabral Martins; pref. Patrick Besnier. Lisboa: Assírio & Alvim, 1997.

Algumas referências




Sem comentários:

Enviar um comentário